miércoles, 26 de octubre de 2016

O CMI facilita a resposta interortodoxa ao texto de convergência


O Conselho Mundial de Igrejas (CMI) convocou uma consulta interortodoxa em Chipre para a semana 6 a 13 de outubro para responder ao documento «A Igreja: rumo a uma visão comum», um texto de convergência apresentado pela Comissão fé e constituição do CMI. 

A reunião teve lugar na Sacra-Diocese do Metropolita de Constantia-Ammochostos em Paralimni (Chipre). O Metropolitano Gennadios de Sassima, vice moderador do Comitê Central do CMI, e o Bispo Metropolitano de Damietta (Igreja Copta) moderaram conjuntamente a reunião.

O Metropolitano Vasilios de Constantia-Ammochostos, ex-moderador e atual membro da Comissão Fé e Constituição, recebeu e acolheu os participantes em sua diocese.

Estiveram presentes trinta hierarcas, sacerdotes, diáconos, professores universitários, leigos e jovens das Igrejas Ortodoxa bizantina e das igrejas ortodoxas orientais, bem como representantes da Comissão Fé e constituição do CMI. Nesta consulta ouviu-se e debateu-se sobre as posições de várias Igrejas e teólogos ortodoxos, bem como, documentos que tratam do texto. O objetivo era formular uma resposta ortodoxa comum ao texto. 

Além do debate sobre uma série de questões, o programa incluiu orações diárias e várias visitas a monastérios e paróquias locais. «Dada a natureza única da tradição ortodoxa, a resposta preparada por este grupo interortodoxo será analisada com especial interesse e atenção», disse o Rev. Dr. Odair Pedroso Mateus, diretor da Comissão Fé e Constituição do CMI. «Espera-se que, uma maior compreensão comum acerca do que é a Igreja e sobre o que as igrejas divididas deveriam fazer para manifestar a Igreja Uma e levá-las a um maior aprofundamento sobre sua comunhão dentro e fora do Conselho Mundial de Igrejas».

O grupo apresentará um comunicado que resume sua resposta à Comissão Fé e Constituição do CMI. «A igreja: para uma visão comum» trata de expressar as convicções comuns sobre a natureza e a missão da Igreja e o caminho para uma maior comunhão entre as Igrejas. O texto já foi enviado oficialmente para as igrejas membros do CMI, convidando-as a estudar e avaliar o documento e oferecer suas reações e respostas até dezembro de 2016.


Fonte: www.ecclesia.org.br